sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

A HISTÓRIA DA ESCOLA ESTADUAL AUGUSTO BARBOSA

" ANGELÂNDIA: NOSSA CIDADE , NOSSA HISTÓRIA "

Foto do 1º prédio da Escola Municipal "Vila dos Anjos"
(Hoje, a atual Escola Estadual Augusto Barbosa)

Foi no ano de 1938 que deu início ao "Ciclo Histórico" de uma escola que, anos depois, veio a ser a primeira e maior Instituição de Ensino do Município de Angelândia - MG.
O então pequeno povoado de Vila dos Anjos, localizado no Vale Alto Jequitinhonha, Nordeste de Minas Gerais, tinha poucos moradores e pouquíssimas casas, pertencendo ao município de Capelinha - MG.
Os filhos dos habitantes eram alfabetizados por um professor particular, o senhor Epaminondas Fernandes.
Somente a minoria podia arcar com as despesas da educação dos filhos e, por essa razão e, para atender a todos, foi que no ano de 1939, uma comitiva de moradores, representada pelos senhores Joaquim Vieira, Vicente Pêgo e Eduardo Ferreira, foram até a cidade de Capelinha a fim de solicitarem um professor Municipal ao prefeito Jacinto José Ribeiro.
Ex-prefeito de Capelinha, Jacinto José Ribeiro

Os mesmos lograram êxito e, no mesmo ano, o prefeito autorizou a vinda da senhora Dona Maria Júlia Ribeiro Otoni para lecionar na localidade. Maria Júlia foi a primeira professora municipal de Vila dos Anjos.
Joaquim Vieira

A casa que serviu como prédio escolar foi construída pelo senhor Joaquim Vieira. Inicialmente foi formada uma turma de 25 alunos. A sala media três metros quadrados e ficava localizada nos fundos da casa onde morava o senhor João Batista.
Construção de pau a pique similar à casa da 1ª escola

A professora Dona Maria Júlia ficou pouco tempo na localidade, sendo substituída por Dona Conceição Reis. Depois vieram a senhora Maria do Socorro, Vicentina Neves (cunhada do então padre José Batista), e Benvinda Damasceno.
Passaram-se os anos e, vários outros professores e professoras lecionaram no local.
Em 1949 foi construído um grupo escolar com três salas amplas, no local onde era o Mercado Municipal, na Praça Antônio Dias, no centro de Angelândia. Mas o prédio nem chegou a funcionar como escola, devido a divergências políticas. Logo em seguida foi construído um novo prédio, longe do centro do povoado, onde funciona até hoje a atual Escola Estadual Augusto Barbosa.
Com o decorrer do tempo, a escola recebeu o nome de Escola Municipal Vila dos Anjos, nome esse que permaneceu até que a mesma fosse estadualizada.
No início do funcionamento da escola no novo prédio, várias professoras lecionaram ali, dentre as quais pode-se mencionar a professora Dona Hermelinda Gandra de Almeida que, em 1951, recebeu as chaves da escola, do então prefeito o senhor Augusto Barbosa.
A Dona Hermelinda, além de ter sido uma das primeiras professoras municipais do novo prédio, foi a primeira professora estadual de Vila dos Anjos, lecionando por 30 anos e aposentando-se em 1977.
Dona Hermelinda Gandra de Almeida

Várias outras professoras marcaram época e deixaram seus nomes cravados na história da escola, como Dona Geni Dias Vale que, por ser a única formada na área naquela época, foi coordenadora por muitos anos. Também lecionaram a irmã de Dona Geni, Honorinda Dias Vale e Dona Alice Luiz Santana. Esta, após a saída de Dona Geni Dias Vale passou a ser a coordenadora da escola.
Dona Alice Luiz Santana

Naquele tempo, as turmas de alunos eram classificadas como 1ª, 2ª, 3ª e 4ª série.
No ano de 1963 a escola foi estadualizada, passando a ser denominada como Escola Estadual "Vila dos Anjos. Nessa época era governador de Minas Gerais o Dr. Magalhães Pinto e o prefeito de Capelinha era o senhor Gotardo Pimenta de Figueiredo.
A partir de 1978, a Escola Estadual Vila dos Anjos passou a eleger os seus diretores, que foram:
* Dalvina de Souza Andrade;
* Nilza Barbosa Leite;
Nilza Barbosa Leite

* Danilza Maria de Oliveira Pinheiro;
Danilza Maria de Oliveira Pinheiro
* Haroldo Geovanini;
Haroldo Geovanini

* Maria da Conceição Valério Almeida;
Maria da Conceição Valério Almeida

* Marinalva Nunes de Souza;
Marinalva Nunes de Souza

* Egle Gomes Pena;
* Neusa Gomes Paiva Filha.
Neusa Gomes Paiva Filha (Atual diretora)

A implantação do Ensino Médio ocorreu no ano de 1998, de acordo com o decreto nº 40223 de 28 de Dezembro 1998, publicada no Minas Gerais de 29/12/1998.
Durante a gestão da Diretora Dona Nilza Barbosa Leite, e por indicação de várias pessoas, para homenagear o prefeito responsável pela construção do prédio escolar, o senhor Augusto Barbosa, em 1986, segundo o artigo 1º da Lei nº 9241, publicada no Minas Gerais de 26 de julho de 1986, a Escola Estadual "Vila dos Anjos" passou a denominar-se "Escola Estadual Augusto Barbosa".
Atualmente a escola possui aproximadamente 1200 alunos, distribuídos entre os três turnos, sendo que 70% são provenientes da zona rural e são, em sua maioria de classe baixa. Muitos desses alunos trabalham para ajudar a aumentar a renda familiar. Dentre os alunos atendidos pela escola, uma pequena parte tem perspectiva em prosseguir os estudos.
Quanto à formação dos professores, mais de 90% têm graduação em licenciatura plena específica e uma pequena parte tem pós graduação em sua área de atuação. A maioria reside na cidade de Angelândia e na Zona Rural, uma pequena parte destes professores vem de outro município.
A maioria dos profissionais da escola possuem dois cargos, como forma de complementar a renda familiar. Uma parte desses profissionais é efetiva por meio de concurso público e a maioria é contratada por meio de designações anuais.
O quadro de professores é composto por 43 profissionais. Os ASBs (Auxiliares de Serviços da Educação Básica) são 19 profissionais. A escola conta ainda com 3 vices-diretores, 3 bibliotecários, 1 secretária e 7 ATBs (Assistentes Técnicos da Educação Básica).
Hoje, a atual diretora é Neusa Gomes Paiva Filha, e seus vice-diretores são: Helenice Rodrigues Souza, Maria do Carmo de Oliveira Valério e José Soares de Paula. Os supervisores são Gleice Francielle dos Santos Martins, Izaurete Aparecida Lopes Rodrigues e Fullvia Brito Mares.
A Escola Estadual Augusto Barbosa está localizada à rua Eduardo Ferreira de Souza, 411, Bairro Bela Vista, em Angelândia - MG.
Foto atual do prédio da Escola Estadual Augusto Barbosa

RELAÇÃO NOMINAL DA DIRETORIA E DEMAIS PROFISSIONAIS EM ATUAÇÃO NA ESCOLA AUGUSTO BARBOSA

DIRETORA: NEUZA GOMES PAIVA FILHA. 

VICE-DIRETORES: HELENICE RODRIGUES SOUZA, JOSÉ SOARES DE PAULA, MARIA DO CARMO DE OLIVEIRA SANTOS. 

SUPERVISORES: FULLVIA BRITO MARES, GLEICE FRANCIELLE DOS SANTOS MARTINS, IZAURETE APARECIDA LOPES RODRIGUES. 

BIBLIOTECÁRIOS: FREDIANE PÊGO SOARES, MARIA JOSÉ RODRIGUES PÊGO, NARCÉLIO APARECIDO ALVES FERNANDES. 
  
ATB (Assistente Técnico de Educação Básica): ANDERSON DE SOUZA PEGO, CASSIANA MENDES DE SOUZA, MARIA ARLETE LOPES DE SOUSA, MARIA LUCIMARA DA SILVA, NÁGILA GOMES PENA PINHEIRO, REGINALDO APARECIDO DA SILVA, SEBASTIÃO CLEIDIMILSON ALVES BATISTA, SUELI CORDEIRO DE PAULA (SECRETÁRIA). 

ASB (Auxiliar de Serviços de Educação Básica): ANA ALVES PÊGO, ANÍZIA GOMES DE OLIVEIRA, AUGUSTA RODRIGUES DOS SANTOS, AUGUSTA RODRIGUES PEREIRA, CLAUDENICE DE FÁTIMA RODRIGUES PEREIRA, CREUZA IMACULADA CIRINO RODRIGUES, DAVID CORDEIRO JÚNIOR, HELAINE ALVES DE SOUZA AGUIAR, IRANI RODRIGUES PÊGO, JOÃO EVANGELISTA PÊGO, LÚCIA DE FÁTIMA LUIZ DE SOUZA, MARIA APARECIDA DIAS DOS SANTOS, MARIA DAS GRAÇAS CORDEIRO DE ARAÚJO, MARIA GERALDA GOMES, MARLY SOARES DE CARVALHO, NEIDE MARIA DOS SANTOS, RAILDA SOARES DOS SANTOS FERNANDES, RENILDE APARECIDA PÊGO DOS SANTOS, WAGNA DE OLIVEIRA SANTOS. 

PROFESSORES: ALAN MAX MARTINS CORDEIRO, BENEDITA VALDICELI GONÇALVES, CHANS CRISTINA SALMAN GONÇALVES, DOMINGOS FERREIRA DA COSTA, DOUGLAS MENDES DE CARVALHO, EDSON CORDEIRO DOS SANTOS, ELIANA MARIA LOPES, ELIANA RODRIGUES DE SOUZA, ELIANE APARECIDA SOARES DA CRUZ, FLÁVIA TORQUATO DE AZEVEDO, GILSON MARCOS MOREIRA DA SILVA, HÉLIA MARIA LOPES CORDEIRO, IVANA LOPES COSTA, IVANILDE BARBOSA SANTOS, IZAURA NUNES RODRIGUES, JOSIANE ALVES DE ALMEIDA, LÍLIA DE OLIVEIRA ALVES, LILIAN DANIELLE GOMES DA SILVA, LUCINETE VÍTOR DE AZEVEDO, MARIA APARECIDA DE SOUZA, MARIA APARECIDA VALÉRIO DE O. BARBOSA, MARIA DE FÁTIMA DE AZEVEDO RODRIGUES, MARIA HELENA BARBOSA DOS SANTOS, MARIA ISAURA DE ALMEIDA MARTINS, MARIA ZILMAR ALVES CAMARGOS, MARINA APARECIDA BARBOSA GONÇALVES, MARINALVA NUNES DE SOUSA, MARLY APARECIDA RIBEIRO BATISTA, MIRAMAR LUIZ SANTANA MACHADO, MIRIANE GOMES DE OLIVEIRA BATISTA, MOISÉS GOMES MACHADO, NEIDE CORDEIRO DOS SANTOS, NILTA APARECIDA NUNES LOPES, NILZA FERREIRA DE MATOS, PATRÍCIA DE FÁTIMA DIAS DOS SANTOS, ROGERIO ROBERTO GOMES, SANTOS CORDEIRO LUIZ, SCHIRLEY VÂNIA XAVIER FARNEZZI, VALCINÉIA APARECIDA CORDEIRO GOMES, VALDEREZ DE FÁTIMA SANTOS, VALDIRENE NUNES CORDEIRO, VICENTINA PEREIRA DA SILVA, WALQUÍRIA DIAS COSTA.  


"UMA PEQUENA BIOGRAFIA SOBRE AUGUSTO BARBOSA, QUE DEU ORIGEM AO NOME DA ESCOLA".


Augusto Barbosa nasceu em Setubal, município de Minas Novas, aos 29 dias do mês de setembro de 1878, sendo seus pais, Augusto Barbosa e Ana Soares de Figueiredo.
Casado com Maria Augusta de Araújo, de cujo enlace nasceram 12 filhos.
Foi fazendeiro e Coletor Federal em Capelinha. Eleito prefeito de Capelinha em 1950.
Faleceu em Belo Horizonte, aos 13 de maio de 1951.
Homem enérgico, destemido e caridoso, deixou marcas de cidadão honrado , respeitado por todos. Morreu aos 73 anos. Está sepultado em BH, no cemitério do Bonfim.

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

TRADICIONAL HOSPEDAGEM DE VILA DOS ANJOS ( ANGELÂNDIA MG ) TEM MAIS DE 40 ANOS :

"Angelândia : nossa cidade , nossa historia :

Foi em 1962 , que chegou no Povoado de Vila dos Anjos ( Angelândia MG ) , a senhora , Floriana Cordeiro da Silva , ( a dona LÔRA ) .

Natural de Lorena ( Aricanduva MG ) , viúva , foi casada com o senhor , José Alves Cordeiro , e mãe de ( 06) seis filhos , são eles :

Norberto ( Beto ) - Pedro ( Pedrinho ) - Dailton ( Dá ) - Manoel Mauro ( Maurinho ) - Geraldo Eustáquio ( Dadinho ) - e Cecilio .

Até o ano de 1975 , a dona Lôra , exerceu diversas atividades , para sustentar a Família ;
Ela trabalhou como ( Quitandeira ) , serviços domésticos , e por vários anos , atuou em serviços no ( viveiro de mudas de café , do Dr. Elder ) .

Com a chegada à região de Vila dos Anjos , dos pioneiros do café , oriundos do Sul de Minas Gerais e diversos Estados do Brasil , ela foi incentivada a alugar cômodos da sua imensa casa , para alojar as pessoas , que iriam começar os trabalhos de implantação de lavoura cafeeira na localidade .

Pode-se destacar algumas personalidades , que foram os pioneiros da cafeicultura de Vila dos Anjos , e se hospedaram na famosa ,histórica e tradicional , ( PENSÃO DA DONA LÔRA ) , os senhores :
Dr. Orlando , Dr. Elder Pinho Tavares , o senhor Otacílio Pinho , pai de Dr. Elder , Dr. José Carlos , os saudosos , Cesar Munaier e seu pai Valter Munaier , , o senhor Inocêncio da Fazenda Primavera , senhor Manoel " do viveiro " , e sua esposa dona Maria .

Todos os nomes citados , foram os primeiros fundadores das Fazendas , Santa Cecilia , Fazenda IBC , Fazenda Mendes Júnior ( Sequoia ) , Fazenda Primavera , e outras tantas .

A senhora , Floriana Cordeiro da Silva , (dona Lôra ) , é uma personalidade , que faz parte da historia de Vila dos Anjos ( Angelândia MG ) , e por isso merece o aplauso , respeito e agradecimento de todo o povo Angelandense .
                                          A simpática e carismática , dona LÔRA .
                                         Fachada da casa , PENSÃO da dona LÔRA .

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

DONA ALICE , PROFESSORA APOSENTADA , FAZ PARTE DA HISTORIA DE VILA DOS ANJOS ( ANGELÂNDIA MG :

ANGELÂNDIA : NOSSA CIDADE , NOSSA HISTORIA :

Foi em 25 de Outubro de 1931 , que nascia no Povoado de Bomfim  (Água Boa MG ) , a bela menina , Alice !

Alice Luiz Santana , de família tradicional do Povoado do Bomfim , ( Água Boa MG ) , lá já pertenceu ao município de Capelinha MG .
Filha do ex. Farmacêutico prático e ex. Vereador  , José Bonifácio Santana ( senhor Juquinha ) , e da senhora , Clemência Luiz de Souza .

Alice , desde de criança , já encantava a todos , com a sua simpatia e beleza , e foi na juventude que conheceu o jovem , Floriano Cordeiro Santana , ( o senhor Tété ) .

Depois de um bonito namoro e noivado , vieram a se unirem , através do enlace matrimonial .
Dessa união , nasceram 11 ( onze ) filhos , são eles :

Carlos - Adailsa - Dalva - Rubens - Hailton - Darlei - Sidney - Edma - Valdete - Miramar  e Sônia ( im memoriam ) .

No inicio do ano de 1966 , a Família Santana , se mudou para o então Povoado de Vila dos Anjos ( Angelândia MG ) .

Quando dona Alice e Família , chegou a Vila dos Anjos , ela já era Professora , e no mês de Maio  daquele ano , já começou a lecionar na Escola Estadual Vila dos Anjos , e chegou a ser Coordenadora da Escola , quando a saudosa Professora e Diretora , Geni Dias Vale ,  se afastou da Direção da mesma .

Além de dona Geni , também foram colegas de trabalho , as Professoras , dona Hermelinda Gandra de Almeida , dona Honorinda Dias Vale , e tantas outras que fizeram historia , na Educação de Vila dos Anjos .

A Família Santana , marcou e deixou saudades , nas pessoas do Povoado de Vila dos Anjos , tanto quanto , o marido de dona Alice , o senhor Floriano Cordeiro Santana , ( o Tété ) , que era Farmacêutico prático , profissão que veio , através do apoio do seu sogro , o senhor José Bonifácio Santana , que era dono de Farmácia , no Povoado de Bomfim ; dai a sua experiência como Farmacêutico .

O senhor Floriano ( Tété ) , era tão bom na área da saúde , que várias pessoas do então Povoado de Vila dos Anjos , o chamavam de , ( MÉDICO DO POVO ) .

Quando alguém o procurava , com problemas graves de saúde , ele recorria  e relatava o fato , ao Médico Dr. Gilson Pires , do município de Teófilo Otoni MG , que emitia a receita , e o senhor Floriano , medicava as pessoas , com segurança e orientações médicas .

Carismático e atencioso , era muito amado e respeitado por todos , e por esses adjetivos , ele foi homenageado , pelo município de Angelândia MG , que deu o nome a Policlínica municipal local de , FLORIANO CORDEIRO SANTANA  .

Dona Alice Luiz Santana e seu esposo , Floriano Cordeiro Santana , são pessoas , que contribuiram para o desenvolvimento , da saúde e educação , de Vila dos Anjos ( Angelãndia ) , e por isso merecem os aplausos e reconhecimento de todos os Angelandenses .

" RESGATAR E PRESERVAR A MEMORIA DE UM POVO , É DEVER E OBRIGAÇÃO DE CADA PESSOA ".

                                          Dona Alice , foto atual .
                                          Dona Alice , foto atual .
                                          Senhor Floriano , esposo de dona Alice .
                                         Dona Alice e seus filhos .
                                          Dona Alice , seus Pais e o esposo Floriano - casamento .
                                       Senhor Floriano Jovem e dona Alice , 18 anos .
                                Dona Alice e seu esposo Floriano - alunos E E Vila dos Anjos
                                            Dona Alice Jovem
                                      Senhor Floriano , Jovem .

terça-feira, 24 de outubro de 2017

DOCUMENTÁRIO HISTÓRICO , COMUNIDADE DOS RODRIGUES , SÃO BENEDITO .

COMUNIDADE DOS RODRIGUES - SÃO BENEDITO - ANGELÂNDIA MG .


Foi em meados de 1880 , que chegou a barra de um Córrego ( que mais tarde , veio a ser chamado de Córrego dos Coités ) , distante aproximadamente 04 km , do então Rio ARREPENDIDO , o senhor , JOAQUIM RODRIGUES , filho ( PARTICULAR ) do CORONEL JUSTINIANO GOMES LEAL , da ALDEIA DE ALTO DOS BOIS .

JOAQUIM RODRIGUES , fixou residência naquele local e constituiu Família !

Ele era pai de , FRANCISCO RODRIGUES , que morou na Cabeceira (nascente ) do  CÓRREGO DOS COITÉS, e de JOÃO RODRIGUES , que morou na Barra do CÓRREGO SÃO BENEDITO .

O senhor FRANCISCO RODRIGUES , casado com dona FRANCISCA RODRIGUES , era pai de , AGOSTINHO RODRIGUES , Antônio Rodrigues , Sebastião Rodrigues , Joaquim Rodrigues , José Rodrigues , e Rita Rodrigues .

O senhor , JOÃO RODRIGUES , era casado com dona Georgina Peçanha Lopes , e era pai de , TEODOLINO RODRIGUES PEÇANHA , Joaquim Rodrigues Peçanha , Rita Rodrigues Peçanha , Izabel Rodrigues Peçanha , Jovita Rodrigues Peçanha , Enedina Rodrigues Peçanha , Ana Rodrigues Peçanha , Maria Rodrigues Peçanha , e Rosalina Rodrigues Peçanha .

Dentre esses primeiros ilustres moradores , podemos citar duas Famílias , que se destacaram na COMUNIDADE DOS RODRIGUES , SÃO BENEDITO !
A família do senhor , TEODOLINO RODRIGUES PEÇANHA , casado com dona AUGUSTA LUIZ PÊGO  , e que fixaram residência na Barra do CÓRREGO SÃO BENEDITO ,e  pais de 09 filhos , são eles :
Manoel Rodrigues Pêgo (TURIBA ) , Raul Rodrigues Pêgo , Rosaria Rodrigues Pêgo ( GONHA ) , Agostinho Rodrigues Pêgo , (CONGO ) , Flora Rodrigues Pêgo , João Rodrigues Pêgo , Joaquim Rodrigues Pêgo , Sebastião Rodrigues Pêgo ( JACHEGA ) , e Ana Rodrigues Pêgo .

A família do senhor , AGOSTINHO RODRIGUES DAS CHAGAS , casado com a senhora , MARIA DA COSTA SOUZA , ( Ela era descendente de Família da COSTA RICA , um País da América Central ) , e fixaram residência na Barra do CÓRREGO DAS PEDRAS , com CÓRREGO DA GRAMINHA , pais de JOSÉ RODRIGUES COSTA , Rita Rodrigues Costa , Francisca Rodrigues Costa , Abilio Rodrigues Costa , Hermínia Rodrigues Costa , Cecília Rodrigues Costa , Vicente Rodrigues Costa , Francino Rodrigues Costa , e Joaquim Rodrigues Costa .

A Comunidade foi desenvolvendo , e vários sobrenomes , se juntaram à aos dos primeiros moradores da região !
São alguns desses sobrenomes :
RODRIGUES - COSTA - PÊGO - VIEIRA - PEÇANHA - SANTOS - SOUZA - LOPES -PEREIRA - FERNANDES - LUIZ - e uma variedade de outros sobrenomes não citados !

Uma curiosidade , sobre os nomes dos córregos :

                                 CÓRREGO DOS COITÉS:

Dizem que , aquele local era passagem de Tropeiros , oriundos do Norte e Nordeste de Minas Gerais , e ali pernoitavam , para seguirem viagem , no dia seguinte .
Certo dia , um dos Tropeiros , ao lavar os vasilhames , deixou cair e foi levado por água abaixo , uma especie de tigela , (coité ) , e a partir daquele dia , quando se referia à aquela região , os Tropeiros diziam !
" Vamos pernoitar lá , naquele Córrego , o dos COITÉS " .
E assim é conhecido até hoje , o CÓRREGO DOS COITÉS .

                                        CÓRREGO DE SÃO BENEDITO :

A lenda diz , que um Forasteiro , proveniente da região de Salinas MG , por nome de Benedito , chegou a cabeceira de um Córrego , trazendo junto a sua bagagem , uma pequena imagem de santo , por nome de São Benedito .
Por ali ele fixou residência , casou , constituiu Família , e passou a adorar a imagem do santo , e quando se referia ao local onde morava ,  ele dizia , " eu moro na cabeceira do CÓRREGO SÃO BENEDITO " ; e até hoje os moradores , mantém esse nome , CÓRREGO SÃO BENEDITO .
Em homenagem a São Benedito , a Comunidade construiu , uma Igreja dedicada ao santo , e todos os anos , é realizada a TRADICIONAL FESTA DE SÃO BENEDITO !

Podemos ainda citar , o desenvolvimento da localidade , começando pela educação !

Próximo a casa , onde morou o senhor , TEODOLINO RODRIGUES PEÇANHA , foi construído um pequeno cômodo , a fim de abrigar uma Escolinha .
Por lá , vários Professores lecionaram , dentre eles , o saudoso Tibúrcio Celestino de Almeida , um dos primeiros moradores da COMUNIDADE DO ARREPENDIDO , ( VILA DOS ANJOS , ANGELÃNDIA MG ) , e a Líder Comunitária , nora de TEODOLINO , a senhora Georgina Rodrigues Pêgo .
Os anos se passaram , e próximo daquele local , foi construído um novo prédio , onde mais de 160 crianças estudavam , e logo a Escola passou a ser , ESCOLA ESTADUAL TEODOLINO RODRIGUES PEÇANHA ,  e em 1987 , foi inaugurada , sendo a sua primeira Diretora , a senhora MARIA AGNALVA NUNES FERNANDES .

Anos depois , o Governo do Estado de Minas Gerais , lançou um Projeto e municipalizou , várias Escolas Estaduais Rurais, entre elas , a E.E . TEODOLINO RODRIGUES PEÇANHA , e atualmente o prédio está inativo e abandonado .
Há um novo Projeto , entre União/ Estado / Município , para se instalar ali , uma ESCOLA FAMILIAR AGRÍCOLA , que viria beneficiar vários jovens estudantes , que buscam os seus estudos , em cidades vizinhas , ou até em outros Estados do Brasil .

A cultura , o Esporte , a Saúde , a Religiosidade , a Diversão , o Comércio , e a Agricultura , estão presentes naquela Localidade , e os moradores lutam para que a COMUNIDADE , sela transformada em POVOADO , , e até já tramita na Câmara Municipal de Angelândia , um Projeto para lá se transformar no Povoado de RODRIGOPOLS , em homenagens aos primeiros habitantes e a numerosa Família Rodrigues , QUE ALI RESIDEM !

A COMUNIDADE DOS RODRIGUES / SÃO BENEDITO , possui uma Associação dos Pequenos Produtores Rurais , Associação das Mulheres , Casa da Pastoral da Criança , Posto de Saúde , Igreja de São Benedito , Igreja Evangélica , Campo de Futebol , Quadra Poliesportiva / iluminada , Associação Esportiva , e uma Equipe de futebol de campo , que disputa e já foi Campeão municipal e Regional , por diversas vezes , a equipe do NOVA PÁTRIA .

Além de Bares , Mercearias , e até um lava a jato , é composto as Ruas e a infra estrutura do futuro POVOADO de RODRIGOPOLIS .

A cultura , o artesanato , a fabricação de produtos caseiros , ( farinha de milho e de mandioca , biscoitos , doces , salgados , ) e muitos outros estão presentes na vida daquele povo !

Ali existiu e foi fundada , pelo pai do senhor ZIQUINHA PÊGO , o senhor , JOSÉ LUIZ PÊGO , a primeira Banda de Taquara / Marujada , com a colaboração dos senhores , VICENTE PÊGO , MANOEL RODRIGUES , JOSÉ TINO , ADÃO MATEUS , e vários outros moradores , e teve continuidade com o senhor , ( DÔDÔ ) , e hoje é representada , por DONIZETE RODRIGUES , (CABELO ) .

A politica também se faz presente ali , e já foram eleitos dois Vereadores , Jair Cirino e Jair Porto , e hoje é representada por dois primeiros Suplentes de Vereador , FRANCISCO RODRIGUES , PTB ( CHIQUINHO ) , e ANANIAS RODRIGUES , PMDB , este , uma Liderança , no Esporte , na Cultura , e Associação .

Ultimamente a Tradicional Festa de São Benedito , ganhou mais uma atração , a Cavalgada , que no seu segundo ano , já está se transformando também em tradição , visto a grande presença de pessoas nas mesmas , principalmente , jovens e adolescentes .

Este documentário , contou com informações e colaboração de :

Osvaldo Rodrigues Costa , filho do saudoso , José Rodrigues Costa ;
Dona Ernestina Alves Vieira , (dona Nóca ) , filha do saudoso , Joaquim Vieira de Souza , um dos primeiros Comerciantes e Farmacêutico prático , da então Comunidade do Arrependido , (VILA SENHORA DOS ANJOS , VELA DOS ANJOS , ANGELÂNDIA ) ;
Da senhora , Georgina Rodrigues Pêgo , e seu esposo Sebastião Rodrigues (JACHEGA ) ;
Do senhor Ziquinha Pêgo  e família ;
Também a prestativa colaboração , das filhas e Neta , do senhor Francino Rodrigues .

" RESGATAR E PRESERVAR A HISTORIA E MEMORIA DE UM POVO , É DEVER DE TODOS ".
                                         Antiga casa de morada de Agostinho Rodrigues.
 José Rodrigues , Herminia , Rita , Cecilia , Francino e Abilio .
     Teodolino , Dona Augusta e Geraldo Prisco. Antiga Casa
 Foto em frente a antiga Escolinha , Tereza Luiz Pêgo , Augusta Luiz Pêgo.
                                    Saudoso Raul Rodrigues e dona Madalena Pêgo .

                                 Equipe de futebol : Nova Pátria
                                  Senhor Ziquinha Pêgo e Esposa .
                       Dona Augusta Luiz Pêgo , em frente a antiga Escolinha
                               Dona Georgina Pêgo , e seu esposo Sebastião ( Jachega )

                           Dona Jacinta e seu esposo Teodolino
                          Prédio da ex. E . E . Teodolino Rodrigues Peçanha .
                         Descendente , fazendo Amido de mandioca ( goma )
           A simpática , Ernestina Alves Vieira ( Dona Nóca )
                                          Rua da Comunidade .
                                 Lateral da Igreja de São Benedito .
                                 Rua da Comunidade .
                            Frente da Igreja de São Benedito .
                                          Igreja Evangelíca .
                                        Prédio do Posto de Saúde .
                                                   Lava a Jato .
                                         Bar da Comunidade .
                                        Muro de fachada , da Associação Comunitária .
                              Quadra Poliesportiva/iluminada .




sábado, 23 de setembro de 2017

COMUNIDADE DE CÓRREGO DOS RAMOS - ANGELÂNDIA MG:

COMUNIDADE DO CÓRREGO DOS RAMOS :
                                                      Primeira parte :

Por volta de 1847 , chega a cabeceira de um córrego , os Familiares do senhor Deodato Ramos , provenientes da região das matas .

A família foi aumentando , e com o passar dos anos , aquele córrego ficou conhecido como " COMUNIDADE  DOS RAMOS " .

Por ali viveram vários personagens , dentre eles o senhor , DEODATINHO , filho do senhor DEODATO RAMOS , o anfitrião da FAMILIA RAMOS .

Também pode-se destacar , pessoas que marcaram presença na região como :

Dona Maria Clara de Souza , " que fez doação de terreno , para a construção do primeiro cemitério e a Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Anjos , para a então Comunidade do Arrependido , " Vila Senhora dos Anjos , Vila dos Anjos , Angelândia " ; ela dona Maria Clara , era casada com o senhor Bento Ramos .
Outros personagens importantes foram : o senhor Deodatinho Ramos e dona Francisca da Alexandria , pais do senhor Fulgêncio Rodrigues da Alexandria .
Também ali moraram , Santos Ramos , José Ramos , Bento Ramos , Beata Ramos , Ricardinha Ramos , Ana Ramos , Mariana Ramos , Domingos Costa e outros tantos pioneiros dessa grandiosa Comunidade .

Naquela época as pessoas viviam e se sustentavam , através de plantações de sub- existência como :
Arroz, feijão , milho , mandioca e cana de açucar .

Era filhos do senhor Deodatinho , além do senhor Fulgêncio Rodrigues da Alexandria , Antônio Rodrigues Ramos , Maria Rodrigues Ramos , Ana Rodrigues Ramos , Lidio Ramos , Sebastião Luis Ramos .

Esses são alguns dos personagens da historia da FAMÍLIA RAMOS .

A HISTORIA DA IGREJA E TRADICIONAL FESTA DE SANTO ANTÔNIO :

                                                               Segunda parte :

O senhor Fulgêncio Rodrigues da Alexandria , ainda jovem , conheceu a adolescente Maria Pereira de Souza , moradora da Barra do Córrego da Grota Escura , e pouco tempo depois se casaram , e passaram a morar na região da família da dona Maria Pereira .
Dessa união nasceram os filhos :
Rita Rodrigues Pereira , Eleonor Rodrigues Pereira ( Dona Lôra ) , Maria Rodrigues Pereira ( Dona Cota ) , José Rodrigues Pereira ( Zé de Fulgêncio ) , Antônio Rodrigues Pereira ( Tô de Fulgêncio ) , José do Nascimento Rodrigues Pereira ( Néu de Fulgêncio ) .

A dona Maria Pereira , esposa do senhor Fulgêncio , era filha do senhor Antônio Pereira e dona Ana Pereira , e o senhor Fulgêncio , era filho de Deodatinho Ramos e dona Francisca da Alexandria .

Conta-se que em determinado tempo , a família , Ramos & Pereira , começou a passar por dificuldades financeiras , e em certo dia , a dona Maria , disse para o seu esposo Fulgêncio , que os filhos estavam à trés dias sem se alimentarem , pois não tinha nenhum alimento para eles ;
desesperados, ambos saíram em busca de sustento para a família , e como não conseguiram nada , dona Maria , fez uma promessa a Santo Antônio e ao senhor Bom Jesus , que interferissem por eles .
No outro dia , o senhor Fulgêncio retornou para casa ,  trazendo vários alimentos para os filhos .
Acreditando em um  milagre de Santo Antônio , a partir daquele dia , a família passou a venerar o Santo .
Tempos depois , passaram a morar na Comunidade dos Ramos , e para homenagear Santo Antônio , construíram , uma minuscula Capela , e colocaram uma pequena imagem do Santo , e todos os anos a Comunidade comemora , com muita festa e comida , para todas as pessoas presentes .

A TRADIÇÃO EM FABRICAR OBJETOS DE BARRO (ARGILA ) , O SONHO VISÃO , QUE FOI O INICIO DE TUDO :

                                                 Terceira parte :

A arte e tradição em fabricar panelas , potes , vasos , caqueiros , e outros produtos derivados do barro (argila ) , surgiu através de uma visão (sonho ) , que a dona Maria teve .

" Um certo dia , a minha mãe , teve uma visão (sonho ) , com um carneiro brilhante , parecendo que era banhado a ouro , que lhe disse :
Vocês estão passando fome , mas a solução , está em suas mãos , você sabe fazer potes e panelas de barro , faça e resolva a situação !
A partir desse dia , a minha mãe , meu pai , irmãos e eu , dedicamos a fazer panelas e potes de barro , e a fartura veio , nunca mais passamos fome , e é pela visão da minha mãe , e o milagre de Santo Antônio , que todos os anos , nós rezamos o terço ao Santo , e alimentamos à todas as pessoas que participam , relata dona COTA , emocionada ."

A fabricação dos objetos de barro , perpetuou  por muitos anos , mas depois da morte da dona Maria , foi paralisado .
Hoje a dona Cota , irmãos , filhos , netos , e moradores da Comunidade do Córrego dos Ramos , estão resgatando a tradição e fabricando , potes , bules , panelas , talhas , pratos , chicaras  , vasos  e muitos outros produtos , e a tradicional Festa de Santo Antônio , da Comunidade dos Ramos , acontece todos os anos , com a presença de pessoas de toda a região , e animada por uma Banda de Taquara , que é preservada e dirigida , por Juarez dos Ramos , filho de dona Cota , e neto de dona Maria e o senhor Fulgêncio .

" PRESERVAR E RESGATAR A MEMORIA DE UM POVO , É OBRIGAÇÃO E DEVER DE TODOS ."
                                           Vista parcial da Comunidade
                                          Capela de Santo Antônio
                                             As irmãs , dona Rita e dona Lôra
                                             Dona Cota
                                                Dona Maria - a Matriarca pioneira
                                                            Dona Higina - Irmã de dona Maria
                                           Dona Higina , tratando das criações
                                                          Dona Higina - irmã de dona Maria
                                            Dona Cota socando barro , para fazer as peças
                                          Juarez , Filho de dona Cota e neto de dona Maria
                                             Dona Cota , fazendo panela de barro
                                           As irmãs , dona Rita e dona Lôra
                                          Capela de Santo Antônio
                                          Imagem de Santo Antônio
                                             Filha e neta de dona Lôra
                                          Dona Lôra , mostrando as suas panelas
                                          Dona Cota , fazendo uma botija
                                          Peças de barro , prontas para ir ao forno
                                          A simpática , dona Cota


                                          Dona Rita Torquato e senhor Lidio Ramos
                                          Dona Margarida e senhor Marcolino Pacheco
                                         Juarez , filho de dona Cota e neto de dona Maria
                                        Dona Ana Rodrigues , filha de Antônio Rodrigues